Habitação

Habitação

Salvador, Bahia, Brasil

Habitação

Caracterizam a arquitetura civil baiana algumas tipologias que se repetem ao longo dos séculos, e só lentamente incorporam novos elementos. Homogéneos, monótonos, conservadores, os partidos residenciais levaram Vauthier a dizer que "quem viu uma casa viu quase todas". Mas, um padrão adotado por séculos pode ser rompido, e o terreno em encosta, ou a fantasia do proprietário, subverterem a ordem estabelecida, alterando as formas e a hierarquia dos espaços. O sobrado urbano é frequentemente de parede‐meia, entalado entre vizinhos. Corresponde‐lhe o partido de corredor lateral, com salas na frente e nos fundos, ligadas por alcovas sem iluminação. Um lote mais amplo centralizará o corredor e inserirá um saguão, sem alterar fundamentalmente o partido. Esta disposição, herdada da casa térrea, se estabelece a partir do século XVIII, sendo comum, no século anterior, a inexistência de uma circulação definida. A planta poderá apresentar ligeiras diferenças se for um sobrado de esquina, ou se o gosto do século XIX a afastar do vizinho, criando um pequeno jardim e uma varanda de acesso, com escadaria mais ou menos elaborada. O solar ou palacete urbano, ainda que entalado no quarteirão, tem em geral um pátio interno que facilita a iluminação dos cómodos. O pátio, introduzido no país no final do século XVII, embora tenha se mantido em Portugal por força das tradições romana e árabe, nunca foi o elemento central da casa, como ocorreu na América Espanhola, sendo apenas um recurso de ilumina‐ ção e exaustão. A planta conserva as características do sobrado de grandes dimensões e a portada é, quase sempre, seguida por um saguão monumental de onde parte a escadaria de acesso ao pavimento nobre, marcado pelos balcões de púlpito. Também aí, até ao século XVIII, a circulação se fez através de uma sucessão de salões intercomunicantes, cujas portas alinhadas criavam uma perspectiva enfilade de gosto renascentista. A chácara, ou solar suburbano de grandes dimensões, implanta‐se no centro do lote amplo e tem a planta quadrada, coberta por telhado de quatro águas, comum nas casas abastadas do século XVIII. Por vezes situa‐se em posição elevada, tirando partido do uso de escadarias monumentais, e pode apresentar um mirante. Esse elemento, de origem medieval, usado em residências e edificações conventuais, é comum na arquitetura portuguesa, em especial nos Açores.

Loading…