Casas (Hassapur)

Casas (Hassapur)

Pernem, Goa, Índia

Habitação

A aldeia de Hassapur localiza‐se em Pernem, a norte do Rio Chaporá, rodeada de densa floresta intercalada de várzeas alagáveis para o arroz e de extensões destinadas a outros cultivos, como o soródio. Pequenas hortas florescem junto à aldeia, que se recolhe em cotas mais altas, protegidas por palmeiras e árvores de médio porte. As eiras tradicionais mantêm‐se ativas com as juntas de búfalos para a debulha do arroz. Contudo, praticamente todas as casas têm o seu terreiro/eira bosteado regularmente, fronteiro à cozinha ou à entrada da casa para limpar e secar ao sol o bat (arroz). Quase todas as casas têm no seu espaço exterior grandes "piões" de palha de arroz para alimento dos búfalos que vivem em estábulos construídos em toros de madeira que sustentam coberturas de duas águas. O solo é elevado em plataforma para proteção das águas das monções e também para conter a bosta dos animais que é aproveitada, após ser "tratada" e seca ao sol, para servir de combustível na cozinha. A aldeia é constituída por casas individuais dispostas em patamares alternados, com acessibilidades de terra batida ajustadas ao relevo do terreno. São maioritariamente construídas em taipa, enquanto as mais recentes, bem como as ampliações das mais antigas, utilizam blocos de pedra de laterite. A tipologia dominante é de torreão central sobrelevado, com ou sem frestas para ventilação. A casa desenvolve‐se a partir do alpendre da entrada, que acede diretamente ao compartimento central, distribuindo para os diversos quartos e cozinha. Nalgumas casas é comum um dos compartimentos ser destinado a um pequeno santuário dedicado aos deuses venerados pela família, noutras o "altar simplificado" localiza‐se numa parede ou sobre um apoio elevado do chão no espaço central. A base geométrica do torreão, quadrangular ou retangular, confere à casa a sua base métrica e respectiva proporção. A maioria dos exemplos apresenta grande rigor e regularidade construtiva, destacando‐se a armação de madeira das coberturas, apoiadas nas paredes por sólidos frexais. Alguns casos integram um conjunto de prumos estruturais de madeira ligados aos frexais nas paredes do torreão, formando uma estrutura porticada complementar às paredes. A sua presença é valorizada no plano exterior integrando nas paredes as sólidas aduelas das portas, onde por vezes se encontram elementos decorativos em relevo, principalmente nos prumos e padieiras da porta localizada no interior do alpendre. Os planos rebocados entre prumos e lintéis são pintados com cores fortes. O prolongamento da armação de madeira para além das fachadas permite a proteção das paredes de taipa das chuvas da monção, através da colocação de esteiras ou olas, penduradas e apoiadas por armações ligeiras de varas de bambu, formando uma quadrícula atada por corda de coco. Sob esta proteção é comum pendurarem‐se diversos utensílios, incluindo alfaias agrícolas, como arados de relha metálica e as grades para esterroar após a lavra das plataformas dos arrozais. As casas de duas e quatro águas, sempre com alpendre, que são em menor número e constituem a tipologia mais elementar, ventilam pelas empenas, protegidas por olas. As casas dispõem no terreiro/eira fronteiro à entrada o tulôsse (ou tulssi), a planta sagrada hindu, plantada num pequeno pódio, nalguns casos decorado com a gramática simbólica hindu.

Loading…