Leal Senado

Leal Senado

Macau, Macau, China

Equipamentos e infraestruturas

De todas as construções civis da cidade de Macau onde é óbvio o ensejo de uma marca ocidental, a mais antiga que se conserva é, sem dúvida, o Leal Senado. O primitivo edifício foi construído em 1583, e pode ver‐se a sua representação no Ou Mun Kei Leok, obra datável de cerca de 1751. Esta imagem mostra uma construção de feição nitidamente chinesa num edifício de um só piso, dotado de um alpendre e situado dentro de um recinto murado. Não temos a certeza da fiabilidade deste desenho, podendo o autor, acostumado à sua própria arquitetura, ter adaptado formas que lhe eram estranhas, ou seja, ter dado um ar chinês a um imóvel com características que eram efetivamente ocidentais ou, pelo menos, mais ocidentais.
O desenvolvimento de Macau e da própria instituição, que ganhou peso e novas valências, obrigaram à construção de novo edifício em 1784, cujo projeto vem sendo atribuído a Frei Patrício de São José. Sabemos que era uma construção com a base em granito, dotada de dois andares. Como é óbvio e ressalta da simples observação que hoje se pode fazer, uma grande reforma posterior alterou‐o profundamente. Inicialmente havia no interior uma capela, dotada de altar votado a Nossa Senhora da Conceição, onde estava desfraldado o pendão que foi erguido quando da aclamação pública de D. João VI.
No ano de 1816, o procurador do Senado pediu autorização ao mandarim Hian‐san para reedificar parte do edifício, dado que estava muito arruinado, concretamente os tetos de algumas das suas salas. A obra de recuperação foi entregue ao pedreiro macaense Zum‐Aham.
Novas obras foram realizadas, após as destruições causadas pelo grande tufão de 1874. Duraram cerca de dois anos. Foi nessa altura que foi conferido à frontaria o seu fácies atual, num sóbrio estilo neoclássico. A fachada foi novamente refeita e solidificada em 1939 com um projeto do engenheiro Valente de Carvalho, que fez os possíveis por alterar o menos possível a que existia. No interior do edifício destacam‐se a bela escadaria que dá acesso ao jardim interior, o salão nobre e uma biblioteca, cujo projetista pretendeu evocar a Casa da Livraria joanina da Universidade de Coimbra.

Pedro Dias

Loading…