Igreja Matriz de Nossa Senhora da Natividade

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Natividade

Natividade, Tocantins, Brasil

Arquitetura religiosa

No templo de meados do século XVIII é abrigada a imagem barroca da padroeira do estado do Tocantins, Nossa Senhora da Natividade. Os maiores festejos religiosos de Natividade são realizados na Praça da Matriz, como é o caso da Festa do Divino Espírito Santo. O botânico austríaco Pohl, que lá esteve em fins da primeira década do século XIX, acompanhou os festejos da padroeira e documentou que a celebração principal se realizou na Igreja de São Benedito, devido ao estado de lamúria em que se encontrava a Igreja Matriz. Outra figura importante que lá esteve foi o inglês Burchell, que ilustrou a matriz em 1828, revelando que a mesma possuía somente uma torre e fachada diversa daquela que apresenta atualmente. Segundo Vaz, a segunda torre, do lado da Epístola, teria sido erigida cerca de cem anos depois da visita de Burchell. Na ocasião, a edificação recebeu elementos decorativos em sua fachada, como a inserção do arco marcando as duas portas de acesso principal do templo - que anteriormente se dava por uma única porta central, de verga reta. A planta da igreja se desenvolve com o corpo da nave e coro num volume maior, precedido pela capela‐mor, circundada por dois volumes menores que correspondem à sacristia e ao depósito. Do lado da torre original segue um amplo corredor que se liga à sacristia. A igreja passou por obras de conservação e restauro, tendo a principal sido realizada em 2004 pelo IPHAN, quando foram restaurados os bens integrados, revelando as cores originais do belo altar. Ainda neste século, foi alvo de intervenções do Programa Monumenta, que contemplou também obras na Praça da Matriz.

Loading…