Igreja de Santa Maria (Cheriyapaly)

Igreja de Santa Maria (Cheriyapaly)

Kottayam, Kerala, Índia

Arquitetura religiosa

A Igreja de Santa Maria de Cheriapally apresenta‐se como um caso raro experimental de arquitetura indo-portuguesa no interior do Estado do Kerala. Situada em Kottayam, antiga capital do rajá de Thekkumkoor, conhecido entre os portugueses como rei da pimenta, a igreja atesta as ligações económicas, nomeadamente na exportação de pimenta, que o Estado da Índia manteve com este reino durante os séculos XVI e XVII, a quem pagava todos os anos pesado imposto monetário. A data da inauguração, em 1579, ficou registada num antigo poema que fazia parte dos ritos de fundação desta igreja. A novidade e carácter experimental do projeto da igreja de Cheriyapaly resultam da flexibilização de modelos portugueses, trazidos da Europa, não só adaptando‐se ao clima tropical do sul da Índia como integrando tradições estéticas indianas. Nesta assimilação, o esquema maneirista de fachada de três tramos, largamente divulgado pelos portugueses em Goa, é alargado, sendo nele introduzido um novo tramo que, por sua vez, remata uma galeria lateral, funcionando como arejamento e proteção solar ao interior do edifício. A fachada da igreja, com três andares divididos por grossos entablamentos e encimada ao centro por frontão clássico, sofre uma acentuação iconográfica na decoração, incluindo baixos‐relevos de anjos, animais exóticos e inúmeros elementos decorativos, que incutem ao todo um forte sabor indiano. Dois belos pórticos de entrada marcam a passagem para o interior de um terreiro cercado por altos muros. A localização da igreja ao centro do terreiro, ao facilitar o estabelecimento de celebrações religiosas em torno do corpo central, apresenta notáveis afinidades com a estrutura do templo hindu. Acentuando uma progressiva sacralização do espaço, às fachadas foram aplicados dois alpendres com teto em madeira, de requintada marcenaria, e belas colunas, na tradição das mandapas dos templos hindus. Digna de nota é uma curiosa grade de ventilação, em talha vazada, inscrita na cobertura do alpendre sul, com uma representação simplificada da fachada principal. O interior da igreja apresenta planta de nave única, com teto de estrutura de madeira e grande capela-mor com cobertura de pedra em abóbada de caixotões. A ausência de imagens e recurso a decoração pictórica correspondem a uma antiquíssima tradição iconoclasta que proibia o uso de imagens nas igrejas dos cristãos de São Tomé, como relatam as fontes documentais portuguesas mais antigas. De grande interesse são as pinturas com cenas bíblicas dos finais do século XVI que se encontram nas paredes laterais da capela‐mor. Acusando uma tradição da escola de pintura do Kerala, certos detalhes revelam uma introdução de novos elementos decorativos europeus. Podemos ainda observar no terreiro uma antiga casa paroquial com um programa de primeiro andar nobre e fachadas abertas em largas varandas duplas, inspirado num programa de casa colonial de influência portuguesa que remonta ao século XVI.

Loading…